Chove sem parar

1:52 AM


Chove, chuva, chove sem parar.
Uma puta de uma mentira, porque aqui em São Paulo o calor me arde até os olhos.

Mas de vez em quando (muito raramente) aparece uma chuvinha (ou chuvona) para alegrar nossas almas suadas.
E numa dessas noites, estava eu dentro do carro observando como as gotas caíam no vidro da janela. Elas escorriam ou separavam-se em mil gotículas, que juntavam-se mais tarde formando novas gotas. Os postes, semáforos e faróis tinham as luzes refletidas nessas gotas e tudo parecia um pequeno show de fogos de artifício. Teria ficado melhor se eu estivesse ouvindo Nujabes para completar a vibe "olhando a cidade de um jeito diferente".

Legal mesmo é quando chove e você está na estrada. As gotas mal caem na janela e elas saem correndo para fora do vidro, como se o desespero para encontrar-se livre de novo fosse uma força inabalável. Uma das cenas mais relaxantes de se observar.

Só que chuva é uma coisa que eu observo mesmo quando estou sem nada pra fazer. Nesse corre-corre que anda minha vida, é muito raro eu ter momentos assim.

Mas espera aí, tá faltando alguma coisa. Sim, chuva também é bom quando se está acompanhada. Um tempo bom e significante para desperdiçar com alguém.

You Might Also Like

0 comentários.

Subscribe